segunda-feira, 19 de maio de 2014

Entrevista para Wire Magazine (tradução)

Confira abaixo a tradução da entrevista que Enrique concedeu à revista Wire.
Para rever os scans da revista que postamos em nosso site, clique AQUI.



A revista começa fazendo um breve resumo da carreira do Enrique, e também menciona o números de vendas de seus álbuns. Em seguida, começa o diálogo com nosso ídolo:

“Eu queria ser direto" ele declarou em um comunicado que acompanha o novo lançamento. "O título descreve exatamente o que o álbum é. Desde o primeiro dia, eu sabia que eu ia chamá-lo de Sexo e Amor. Você vai encontrar músicas que misturam os dois lados, e você vai encontrar músicas que se concentram em um ou outro. Algumas músicas são divertidas e obviamente sexuais, enquanto outras músicas são mais introspectivas e nostálgicas. As palavras andam juntas, mas elas podem ser separadas e inspirar diferentes sentimentos e pensamentos. Está tudo englobado." disse Enrique.

Na ocasião do novo lançamento, eu (Rafa Carvajal) entrevistei Enrique Iglesias sobre a carreira dele, sobre o novo álbum e sobre a comunidade gay.

Rafa Carvajal: O que você acha que é o segredo alcançar o sucesso entre ambos, o Inglés e Espanhol?

Enrique Iglesias: Eu acredito que ninguém tem o segredo! Eu me sinto abençoado e sortudo em todos os sentidos. Sexo e Amor é o meu 10 º álbum em estúdio, e eu não poderia estar mais feliz. Tem músicas com Kylie Minogue, JLo, Sean Paul, Gente de Zona, Descember Bueno, Marco Antonio Solis e, claro, o meu parceiro no crime, Pitbull! Nós somos os garotos de Miami, e a turnê pelos EUA será muito divertida. Eu mal posso esperar!

Rafa Carvajal: Qual foi sua inspiração para se mover em direção à músicas dançantes ao contrário do início de seu estilo musical no começo de sua carreira?

Enrique Iglesias: Músicas dançantes sempre fizeram parte do meu repertório. O segredo é manter-se aberto a novas tendências e aos colegas que sabem mais do que você.

Rafa Carvajal: Por que você acha que o seu novo álbum é tão especial?

Enrique Iglesias: É o álbum mais eclético que eu fiz até agora. Espero que vocês gostem!

Rafa Carvajal: O que faz o novo álbum diferente do álbum Euforia?

Enrique Iglesias: Bem cada álbum é diferente. O que eu faço é tentar co-escrever com outros compositores, principalmente compositores que venham de origens musicais completamente diferentes, e isso me ajuda muito. É definitivamente mais eclético. Euphoria foi bastante eclético, mas esse é ainda mais. Há uma grande quantidade de parcerias (duetos) nele. Eu vou do inglês para o espanhol e eu sinto que eu tenho algumas músicas legais. Por alguma razão, em espanhol, me leva um pouco além, às vezes

Rafa Carvajal: Este é o seu 10º álbum. Em que sentido você acha que a sua música mudou ou evoluiu ao longo dos anos?

Enrique Iglesias: Eu acho que se você ouvir meus primeiros e os meus últimos álbuns, você certamente vai notar a diferença. Essa é a parte divertida e emocionante. Eu não vou dizer que eu não gosto de repetir ou que eu já tenho, mas eu tenho certeza que eu não quero me tornar aborrecido comigo mesmo. Neste álbum, eu trabalhei com um monte de gente. Dessa forma, eu podia ver como outros artistas trabalham. Isso me tira do meu confortável ambiente familiar, e isso pode me levar em uma nova direção também. Você nunca sabe onde você vai terminar quando você começa a fazer ou escrever uma canção..

Rafa Carvajal: O seu último single "I'm a Freak" neste álbum. O que foi que você mais gostou trabalhando com Pitbull nessa música?

Enrique Iglesias: Eu amo trabalhar com ele. Temos trabalhado juntos em várias canções quando estou em Miami nós saímos às vezes. Somos muito bons amigos. Neste álbum, nós colaboramos em duas músicas. Gosto de passar um tempo com ele. Sempre que vemos um ao outro, nós entramos em música e se ouvirmos algo que nós dois gostamos, podemos ir gravar no estúdio, porque vivemos na mesma cidade.

Rafa Carvajal: No álbum você também trabalhou com a Kylie Minogue na música "Beautiful." Como surgiu essa oportunidade?

Enrique Iglesias: Essa é uma música que eu escrevi há um ano no estúdio com um amigo. Estávamos no estúdio de gravação e ele me falou sobre como trabalhar com ela, e eu mencionei "Beautiful". Então ela ouviu a música, mais tarde ela gravou sua parte e foi isso. A boa coisa sobre este álbum, e sobre todas a colaborações que eu tinha durante toda a minha carreira, é que tudo isso aconteceu de uma forma muito natural.

Rafa Carvajal: Por que você colabora com outros artistas tão frequentemente estes dias?

Enrique Iglesias: A razão pela qual eu comecei a fazer muito isso é porque isso leva para fora de sua zona de conforto. Eu tenho o meu estilo de fazer música, e trabalhar com outras pessoas lhe envia para uma nova direção. Eu não quero me aborrecer comigo mesmo! Quando eu vou lançar um álbum, eu vou ter que cantar as músicas um milhão de vezes, então eu preciso estar apaixonada por essas músicas.

Rafa Carvajal: Qual é o segredo para ficar por perto na indústria da música?

Enrique Iglesias: Honestamente, só amando o que você faz e nunca acreditando na sua próprio publicidade. Manter seus pés no chão e não achar que você é uma merda, porque você não é. Trate todo mundo igual e trabalhe duro. Você tem que realmente amar o que faz.

Rafa Carvajal: Qual é o seu maior prazer?

Enrique Iglesias: Depende do que estamos falando. Há muitos. Eu amo o que faço, por isso, estar no palco é o meu êxtase. Mas eu também gosto de coisas mais simples - os prazeres da vida diária, estar com os amigos, sair para comer, pra conversar, tomar uma bebida ou dar uma boa risada.

Rafa Carvajal: Quem você admira e por quê?

Enrique Iglesias: Eu admiro muito o meu pai. Eu acho que ele, junto com outros, abriu a porta para os que vieram depois - Ricky, Shakira, etc. Eu acho que todos nós somos uma geração de jovens lutadores. Temos muito a aprender com pessoas como Marco Antonio Solis, Juan Luis Guerra e Juan Gabriel, que foram capazes chegar ao topo e ficar lá por um longo tempo.

Rafa Carvajal: O que você mais admira na sua namorada Anna?

Enrique Iglesias: Eu amo que ela é uma mulher forte, independente e segura de si. Ela me permite ser e isso é fundamental para um bom relacionamento.

Rafa Carvajal: O que mais você gostaria de fazer em sua vida?

Enrique Iglesias: Tudo. Escrever a melhor música da minha vida, fazer mais filmes, alcançar mais pessoas. Acho que tenho muito a aprender.

Rafa Carvajal: Alguns artistas têm afirmado que eles nem sempre se sentem confortáveis ​​ou acolhem os fãs gays e lésbicas. Outros artistas, incluindo o você mesmo, conseguiram desenhar o sucesso entre fãs gays e heterossexuais. Como você se sente sobre esse segundo tipo de sucesso?

Enrique Iglesias: Hétero ou gay, somos todos iguais. Eu sinto que é ridículo rotular as pessoas por sua orientação sexual. Pessoalmente, eu sou mais do que grato pelo amor e apoio deles. Eu tive quatro homens gays na minha equipe, que são essenciais para o nosso sucesso. Eu os amo muito. Eles são espertos, divertidos, criativos e temos nos divertimos muito juntos! Agora que você mencionou o assunto, muitas vezes eu vejo mais homens do que mulheres em meus shows em todo o mundo!

Rafa Carvajal: O que você gostaria de dizer aos seus fãs na comunidade LGBT?

Enrique Iglesias: Que não importa o que alguém pensa ou diz, o que realmente importa na vida é a busca da felicidade! Basta ser feliz!

Rafa Carvajal: Quais são seus pensamentos sobre a questão do reconhecimento do casamento homossexual e outras questões importantes, relevantes para a comunidade LGBT?

Enrique Iglesias: Como eu disse, somos todos iguais e precisamos permanecer assim para nossas crenças. Eu não sou o tipo de cara para casamento. Eu não sinto que um pedaço de papel faria qualquer diferença. Estive com a minha garota pra sempre e estamos felizes de ser solteiros, radicais e livres.

Rafa Carvajal: Existe alguma coisa que você gostaria de compartilhar com os leitores da revista Wire?

Enrique Iglesias: Eu espero que a comunidade inteira vão para a turnê e se divirtam cantando e dançando com a gente!


Tradução e adaptação: Viviane ( @vivianebio17 ).