quarta-feira, 25 de junho de 2014

Entrevista site Pandora (Tradução)

Saiu uma entrevista com Enrique no site internacional Pandora.
A entrevista é breve, dividida em 3 vídeos, cada um com pouco mais de 1 minuto e 40 segundos de duração, onde apenas nosso ídolo fala, o tempo todo em espanhol (com legendas em inglês) e não é mostrado nenhum repórter fazendo as perguntas.
Por isso, traduzimos pra vocês tudo o que foi falado nesses pequenos vídeos!
Você pode assistir os vídeos clicando no link a seguir: http://www.pandora.com/raicesprofundas/

Primeiro vídeo: A vida em Miami


Se eu não tivesse me mudado para Miami quando tinha 8 ou 9 anos de idade, a música que escrevo seria completamente diferente.
Pra mim, Miami é uma cidade com tanta diversidade cultural. Você nota isso quando está no seu carro ouvindo as músicas nas estações de rádio... Você pode ouvir músicas em espanhol, mas dentro dessa música em espanhol há muitos estilos diferentes que podem influenciar você. Eu gosto muito!
Tenho tentado me acostumar a outras cidades como por exemplo, Los Angeles, mas sempre acabo voltando pra Miami.
Eu ainda vivo no bairro onde eu cresci, sou uma pessoa com hábitos e eu estou confortável lá.
Na casa onde vivo, tenho escrito muitas canções, não tenho certeza se sou supersticioso mas por alguma razão, minhas melhores canções e meus momentos mais criativos, tem acontecido nesse lugar (minha casa).
Eu sinto que uma cidade é definida pelas amizades que você tem nela. Por isso amo essa cidade! É importante estar cercado por pessoas que você confia, pessoas que não tem medo de lhe dizer a verdade. Isso é crucial!
Meus amigos estão aqui e eu amo o mar... é algo que eu realmente amo em Miami.

Segundo vídeo: A influência do meu pai


Eu vim viver aqui quando eu tinha 9 anos de idade. Meus pais tomaram a decisão de que eu e meu irmão deveríamos mudar aqui pra Miami. A mudança foi difícil.
Crescendo em Madri e depois mudar pra Miami, é uma grande mudança!
Primeiro o idioma, depois a comida, os amigos, minha mãe que ainda vivia na Espanha... Realmente foi uma mudança difícil.
A ideia era ficar um ano ou dois anos, no máximo. No fim, acabei vivendo aqui o resto da minha vida!
Eu era uma criança muito ativa... pescava, mergulhava, estava sempre fora de casa e ativo.
Pra mim era normal ver meu pai no palco. Eu não me criei ouvindo muito a música dele. Não fui influenciado pela música dele ate os 14, 15 ou 16 anos de idade.
Quando comecei a analisar e escrever músicas, foi quando realmente entendi o que ele tinha feito musicalmente... Aprendi mais assistindo e observando, e um pouco espiando a determinação dele, e tudo o que acontecia ao redor do ambiente musical, e a importância de cercar-se com  pessoas que lhe amam, pessoas que lhe digam a verdade!

Terceiro vídeo: O processo de escrever uma música


Eu sempre senti uma atração muito grande pela música. Quando eu ia dormir ouvindo CDs, eu imaginava como seria estar no palco.
A primeira música que escrevi foi Por Amarte, quando eu tinha 15 anos de idade.
Eu estava em casa, estava no banho... Eu comecei a cantar a melodia, e foi uma daquelas músicas onde a letra e a melodia foram escritas simultaneamente.
Quando comecei a escrever musicas ou apenas pensava em escrever versos ou refrões, eu sabia que, de uma forma ou de outra, eu seria musico. Porque eu não era um dos melhores estudantes do mundo. Mas com a música, eu poderia sentar e escrever uma canção por 4, 5, 6 horas seguidas, sem parar.
Desde quando eu era criança eu queria escrever músicas, porque (sem a música) eu não teria força ou coragem pra falar coisas para as pessoas cara a cara.

Tradução e adaptação: Viviane ( @vivianebio17 )